Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

terça-feira, 28 de maio de 2013

Comida di Buteco 2013 - Café Palhares

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

O tradicionalíssimo Café Palhares, que já beira os oitenta anos em atividade, dispensa apresentações para o público belo-horizontino. Pioneiro também no Comida di Buteco, já se sagrou campeão em 2009, e costuma brindar a clientela com pratos interessantes. Na edição de 2013, quando ofereceu o “Prata da casa” (Linguiça artesanal do Palhares, servida com chucrute brasileiro e batatas cozidas. Acompanha mostarda clara e escura) não foi diferente. A boa linguiça que vai no Kaol serve também como um bom petisco, sobretudo se acompanhada pelo chucrute brasileiro, conserva essa que recebe o acréscimo de bacon, e também das duas boas mostardas. Os pães de queijo, ausentes na descrição, permitem ao frequentador montar sanduichinhos, que pela inspiração alemã do “recheio”, caem muito bem com a cerveja em lata (R$ 4,00 a Skol) ou com o chopp Nova Schin (R$ 4,50).


Falando dos demais itens, o ambiente é o mesmo há décadas, com vinte e poucas banquetas muito juntas da bancada. O atendimento no balcão em U, por outro lado, é quase personalizado, e os diminutos banheiros se situam no segundo pavimento.

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - O Pulo do Gato

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

O Pulo do Gato é um botequim que foi inaugurado há cerca de dois anos, e funciona onde antes existia o Abarcateiro Bar. De ambiente agradável, oferece música ao vivo de quinta a sábado, além da indispensável cerveja gelada (Brahma a R$ 6,50 ou Original a R$ 7,20). Estacionar nos arredores é uma constante dificuldade, mas o atendimento, com direito a garçons que fazem apresentações de mágica, não desaponta.


Em sua primeira participação no Comida di Buteco, o petisco foi o “Jeca Ragu”, que é o ragu de linguiça a moda toscana na cama de polenta branca, envolvida em uma fogueira junina feita com palitos de mandioca, gratinada com queijo. De aspecto interessante, entendo que o destaque tenha sido a polenta branca, que a exemplo dos palitos assados, conferiu leveza ao prato. Ambos contribuíram para deixar o petisco mais suave, já que o sabor do ragu se mostrou mais forte do que o necessário. Pela fuga do trivial e pela bela apresentação, entendo que seria merecedor de uma boa posição no evento.

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bar do Rei

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

O Bar do Rei participa do Comida di Buteco pelo quinto ano seguido, e sobe ao pódio pela primeira vez em 2013, quando chegou ao terceiro lugar. O responsável pela façanha tem nome, e se chama Quitanda di Buteco, apelido este que faz clara analogia ao evento do qual participa. De concepção ousada, impressiona no aspecto, mas que não acompanha tão bem uma cerveja. É composto por duas variedades de rosquinha, sendo a primeira de carne moída com mandioca, e a segunda de frango com calabresa. No centro do prato, um molho picante, que não agradou.


Falando dos itens secundários, do atendimento não houve motivo para reclamar, e tampouco dos banheiros, que além de limpos são amplos. A Original estava gelada (R$ 7,00), e havia para ela a opção de cervejas clássicas como a Skol (R$ 5,60).

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bar de Minas

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

O Bar de Minas retorna ao evento depois de participação única em 2011, quando ainda se chamava Bar da Leninha. Naquela ocasião funcionava em um ponto menor, localizado a um quarteirão do atual, sendo o  atual mais agradável e arejado. Dentro do banheiro ainda faltam portas, e o atendimento está em fase de aperfeiçoamento, mas no dia da visita a cerveja Original (R$ 6,50) estava no ponto, havendo ainda a opção de Brahma (R$ 5,50).


Quanto ao “Trilingui com Mandiotô”, trata-se de um combinado incluindo bolinho de linguiça toscana, enrolado de frango com linguiça calabresa, enrolado de carne com linguiça de porco, mandioca assada com queijo parmesão e torresmo, acompanhado de molho de mandioca. O primeiro item agradou bastante pelo sabor, e o segundo se mostrou criativo. A carne cozida com linguiça também foi interessante, mas a mandioca, diferentemente do prometido, não foi assada com parmesão, mas sim frita e com o queijo salpicado já no prato. O torresmo era regular, e o molho de mandioca não mostrou a que veio. No fim das contas, uma porção que acompanha bem a cerveja.

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bar do Zezé

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O Bar do Zezé é o único tri-campeão do Comida di Buteco, e em nove participações anteriores, tem um sexto lugar como a “pior” colocação. Para a última edição, o prato elaborado manteve o bom padrão de mineiridade que lhe fez a fama, conquistando a maior parte dos que lhe experimentaram. Composto por linguiça e pernil, ovo de codorna, torresmo e couve sobre uma cama de tutu de feijão, entendo que a maior qualidade do saboroso prato seja a harmonia entre seus itens. Eu apenas substituiria os ovos de codorna por ovos de galinha cozidos e fatiados, com a gema esfarelando sobre o feijão, mas não há dúvidas de que foi um prato acima da média.


Além da sua boa cozinha, o Zezé nos ofereceu uma cerveja geladinha, esta com opções de rótulos clássicos além das marcas “premium”, como a Original (R$ 6,90), que infelizmente foram impostas pela maioria dos outros bares participantes. O atendimento foi bastante solícito no dia da visita, e a higiene se manteve dentro do esperado.

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - Armazém do Árabe

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

O Armazém do Árabe foi incluído no Comida di Buteco em 2006 e, depois de uma breve ausência no ano passado, voltou com um ótimo petisco para a edição de 2013. Composto por bolinho de carne recheado com linguiça, quibe de mandioca e salada espanhola de cebolas com azeitonas, o Dibabá acompanha bem uma cerveja gelada. O bolinho nos foi servido tanto na versão frito, quando estivemos no bar, quanto na versão cozido, formato este trabalhado na Saideira. Em ambas o interessante sabor da pimenta síria se fez presente, mas os primeiros eram maiores e, talvez por isso estivessem mais apetitosos. Já para o quibe não houve variação, e este se apresentou similar e bem executado nas duas oportunidades. A salada espanhola acompanha bem, sobretudo os bolinhos, enquanto o molho agridoce, que não é informado na descrição, casa-se melhor com os quibes.


Quanto aos aspectos secundários, o atendimento foi esforçado no dia da visita, e a higiene estava dentro do esperado. A temperatura da cerveja também agradou, mas o mesmo não se pode ser dito sobre a imposição dos rótulos premium (R$ 6,50 cada garrafa de Original).


Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bar do Tonho

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

O Bar do Tonho, localizado na Zona Leste e primeiro representante do bairro Vera Cruz no evento, é um dos que estrearam em 2013. O fato deste boteco se localizar em rua que faz esquina com a Avenida dos Andradas torna fácil a tarefa de encontra-lo, e logo ao chegarmos, uma surpresa quanto ao agradável ambiente. Já sentados, bebericamos cerveja Original a R$ 6,50, mas havia Brahma e Skol, ao preço de R$ 5,50 cada garrafa. Por mais que o bar não estivesse cheio, o atendimento se manteve em um patamar apenas razoável. Os banheiros, por sua vez, estavam limpíssimos.


Sobre o petisco “mandioca na ponta da língua” (língua de boi recheada com bacon e cenoura vermelha ao molho, acompanhada creme de mandioca), entendo que teria plenas condições de pódio caso a língua fosse cortada em pedaços maiores e melhor selecionada. Por mais que não tenha percebido o bacon que foi prometido, o creme de mandioca sobre o molho da língua se mostrou uma interessante combinação, tanto por agregar sabor quanto por encorpar o caldo. Para que seja aproveitado até o fim, o pãozinho que vai junto da porção é indispensável.

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bar do Júnior

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

Depois de única participação em 2006, quando levou ao evento o seu afamado pernil assado, o Bar do Júnior volta a integrar o Comida di Buteco em 2013. Situado dentro do único Mercado Distrital que restou aos belo-horizontinos, no caso o do Cruzeiro, o Bar dispõe algumas banquetas à freguesia, no melhor estilo puleiro, e em condições normais só distribui mesas nos finais de semana. Assim, durante o evento teve de se desdobrar para receber a considerável clientela sazonal, e durante a nossa visita não foi diferente. Aguardamos não menos do que 10 minutos pela montagem da mesa e recebimento da primeira cerveja, e ao longo da estada o atendimento permaneceu mostrando dificuldade para a reposição dos cascos de Original (R$ 7,00) ou Brahma (R$ 6,00). O banheiro que deve ser utilizado é o do Mercado, que diferentemente do estacionamento, é gratuito para a clientela.


Avaliando o prato Mandiocada na costela do leitão (linguiça artesanal de costela de leitão, acompanhada de molho com maionese e mandioca cozida), trata-se de um petisco verdadeiramente de boteco. Conversando com o Júnior, ele explicou que a linguiça é de concepção própria, mas na prática ela se mostrou um pouco mais gordurosa do que o esperado. A mandioca na manteiga, ligeiramente ressecada, foi servida em fartura, e o molho à parte é composto por maionese batida no liquidificador com cheiro verde.

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bar do Antônio (Pé de Cana)

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, depois de seis anos estipulando ingredientes, desfaz essa prática para a edição de 2014, conforme anunciado no momento da premiação. Ao longo de um mês de evento, que aconteceu de 12 de abril a 12 de maio, este blog percorreu a grande maioria dos bares participantes. Nas postagens referentes a este momento, quando os botecos se encontram fora da sua dinâmica habitual, procuramos dar maior enfoque nos pratos.

O prato

O Pé de Cana é um dos mais conhecidos e premiados bares de BH, e ao longo de 14 anos de evento, participou em no mínimo 10 edições. Conhecido por muitos em função dos seus pratos feitos oferecidos na hora do almoço, apresentou um atendimento razoável no dia da visita. A higiene e o ambiente, por sua vez, são de tirar o chapéu, e a temperatura da cerveja (Original R$ 6,90) também não desapontou. Destaca-se ainda o fato de não ter aderido à imposição dos rótulos premium, haja vista a comercialização da Brahma e da Skol, ao preço de R$ 6,00.

Falando do petisco criado para concorrer no evento, este é composto por Bolinho de mandioca recheado com ragú de linguiça, coxinha da asa picante e linguiça ao molho, tendo sido batizado de “Riquezas de Minas”. O primeiro item, criativo e saboroso, é o destaque do prato, e inclusive pode ser pedido em porção própria pelo mesmos R$ 22,90, conforme nos adiantou o garçom. Já as coxinhas de asas, nem tão picantes assim, e a linguiça, são salvas justamente pelos molhos que lhes cobrem.

Encerramos hoje a nossa cobertura do Comida di Buteco 2013, e na próxima semana retornaremos com as resenhas sobre bares novos e tradicionais. O endereço e o horário de funcionamento deste boteco podem ser encontrados aqui.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Veja Comer & Beber 2013: O nosso voto


É com satisfação que o Blog Butecage compõe, pela primeira vez, o júri responsável pela escolha dos melhores bares do ano. Cientes de nossa responsabilidade, seguimos três critérios que consideramos essenciais:

1) o bar deve ter sido, necessariamente, visitado (ou revisitado) nos últimos seis meses;

2) na visita há que ter acontecido o consumo de, no mínimo, uma variedade de bebida e uma de petisco;

3) independentemente de tradição, história ou apelo da mídia, o bar deve estar vivendo um bom momento, ou seja, deve ser o melhor no presente.


E foi assim que chegamos aos nossos indicados:

Boteco: Silvio’s Bar (Rua Begônia, 199 – Esplanada)
Petisco: Poesia Mineira (torresmo de barriga, quiabo crocante na manteiga e polenta), do bar Agosto Butiquim (Rua Esmeralda, 298 – Prado)
Carta de cachaças: Clube Mineiro da Cachaça (Rua Mármore, 373 – Santa Tereza)
Chope: Redentor (Rua Fernandes Tourinho, 500 – Savassi)
Cervejaria: Cervejaria Seu Romão (Rua São Romão, 192 – Santo Antônio)
Carta de drinques: Bar 222 (Av. Francisco Deslandes, 222 – Anchieta)
Cozinha: Patorroco (Rua Turquesa, 865 – Prado)
Happy Hour: Peixe Frito (Rua Juiz de Fora, 1242 – Santo Agostinho)
Música ao Vivo: Gamboa (Rua Sergipe, 1236 – Savassi)
Para ir a dois: Duke’n’Duke (Rua Alagoas, 1470 – Savassi)
Para paquerar: Churrasquinhos do Luizinho (Av. Francisco Sá, 197 – Prado)
Bar revelação: Alquimia Cervejaria (Rua Leopoldina, 161 – Santo Antônio)


A edição especial Comer e Beber 2013, com os escolhidos dentre bares, comidinhas e restaurantes, chegou às bancas no dia 25/05. Para visualizar a tabela de votos da categoria bares, clique aqui.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Comida di Buteco 2013 - Os Vencedores

Foi realizada neste sábado, durante a Festa Saideira, a premiação dos cinco melhores botecos de 2013. O resultado é definido por um corpo de jurados e pela clientela dos bares, com peso de 50% para cada um destes grupos, e considera principalmente o sabor do prato (70% do peso), além de atendimento, higiene e temperatura da cerveja (10% para cada). Ao lado do Recanto da Macaca (segundo colocado), o Patorroco foi o melhor bar desta edição, e portanto o troféu é mais do que merecido. Veja o pódio completo:

1º) Patorroco, com o petisco Koninguiça.



2º) Recanto da Macaca, com o petisco Macacaxeira da Sorte.


3º) Bar do Rei, com o petisco Quitandas de Minas


4º) Café Palhares, com o petisco Prata da Casa


5º) Bar da Lora, com o petisco Versões da Lora


Outras informações dos bares, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

sábado, 18 de maio de 2013

Comida di Buteco 2013: Ranking Final

Hoje, dia da premiação do Comida di Buteco 2013 e data da Festa Saideira, esta com menos "cara de boteco" a cada nova edição, compartilhamos aqui o nosso ranking final. Como já mencionado em momento anterior, esta avaliação não considera apenas o quesito sabor. Metade do peso fica por conta de aspectos como criatividade, apresentação, higiene, temperatura da cerveja, ambiente do bar, preço da cerveja e tamanho do prato.
 
Vale destacar que fomos a 44 bares, e o único boteco ausente da lista é a Cantina da Ana, onde não estivemos por falta de tempo.

Por fim, e tendo em vista que o concurso é acirrado, considero justo um pódio oficial que seja ocupado por qualquer dos bares posicionados entre o 1ª e 18ª lugar.

1) Recanto da Macaca
2) Patorroco
3) Armazém do Árabe
4) Mulão
5) Dona Suica
6) Bar do Zezé
7) Temático
8 ) Família Paulista
9) Casa Velha
10) Curin Bar
11) Café Palhares
12) Ali Ba Bar
13) Autêntico’s
14) O Pulo do Gato
15) Bar da Lora
16) Köbes
17) Seu Romão
18) Escritório da Cerveja
19) Zoo Bar
20) Bar do Antônio (Pé de Cana)
21) Bar de Minas
22) Bar do Dedinho
23) Bartiquim
24) Bar da Cida
25) Agosto Butiquim
26) Gabiroba Butiquim
27) Bar da Claudinha
28) Bar do Rei
29) Barbazul
30) Peixe Frito
31) Bar do Júnior
32) Geraldim da Cida
33) Tanganica Art Bar
34) Bar do Doca
35) Bar do Tonho
36) Barção Moreira
37) João da Carne
38) Café Bahia
39) Carlão Rei do Churrasco
40) Bar do Veio
41) Estabelecimento Bar
42) Pé de Goiaba
43) Koqueiro’s
44) Adega & Churrasco

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Comida di Buteco 2013 - Barbazul

O evento
O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog voltou a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.
O prato
O Barbazul é um dos primeiros participantes do Comida di Buteco, e depois de alguns anos fora do evento, voltou em 2009 sob a direção de um antigo garçom do bar. Para a edição atual, criou o “Foi na língua agora é na lingüiça”, que se trata de linguiça ao molho de mel com gergelim acompanhada de brochetes de medalhão, e é vendida a R$ 22,90. Nele, a linguiça é razoável, porém diferente da foto de divulgação, onde cada pedaço parece ser amarrado nas pontas. O mel prometido ao molho, por sua vez, não foi notado.
Melhores que as linguiças, os brochetes de medalhão se destacam pela criatividade. Em cada um dos quatro espetos, que são fritos, há um pedaço de mandioca envolta em bacon, uma fatia de banana da terra, e outra de jiló empanado. À batata assada que serve de suporte aos brochetes, por fim, considerei que faltou tempero.
Falando dos itens secundários, entendo que o atendimento tenha sido no máximo regular, dado o contraste entre alguns garçons simpáticos e outros marrentos. A venda das cervejas clássicas, tais quais a Brahma e a Skol, foi vetada pelo bar. Fomos de Original (R$ 7,00), cujos cascos esquentavam muito rapidamente no balde. Já o ambiente, com várias mesas no passeio, é indiscutivelmente aprazível.
Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Comida di Buteco 2013 - Estabelecimento Bar

O evento
 
O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog volta a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.
 
O prato
 
O Estabelecimento, que funciona em um quintal de uma casa no bairro Serra, é hoje um dos mais conhecidos botequins da cidade. Para a edição de 2013 do Comida di Buteco, o bar inscreveu o Linguinhoca de Panela, que é um mix de linguiças cozidas em vinho, cebola, polpa de tomate e pimenta, servida com mandioca cozida e refogada em manteiga de garrafa, maionese, açafrão e ervas finas. O petisco, que chama a atenção pelo farto tamanho, apresenta três tipos de linguiça, conforme informado pela garçonete. A primeira dela seria suína com acréscimo de bacon, outra suína com queijo, e a última de frango. Na primeira, o prometido acréscimo de bacon não foi notado, e o sabor não agradou. A segunda se mostrou razoável, apesar de também não termos percebido o queijo, e a de frango, por sua vez, se mostrou a menos interessante das três. A apresentação do petisco, que era item de avaliação até o ano passado, talvez tenha sido o maior ponto negativo. E a mandioca, por fim, era razoável. Sobre ela foi acrescido boa quantidade de pimenta rosa, que também está longe de ser uma unanimidade.
 
 
 O atendimento, no dia da visita, esteve abaixo do esperado. A garçonete insistiu em uma mesa muita próxima à outra, o que causou um nítido desconforto aos vizinhos, e ao final forçou a barra para a tal da sobremesa Nestlé. A cerveja Original, por outro lado, estava geladinha (R$ 7,00), por mais que o bar seja mais um adepto da restrição aos rótulos clássicos, como Brahma e a Skol.
 
Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Comida di Buteco 2013 - Seu Romão

O evento
 
O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog volta a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.
 
O prato
 
O Seu Romão é um dos estreantes da edição 2013, e me baseando em visitas já feitas ao bar, entendo que tenha sido merecido o convite. Para sua primeira participação, a cozinha do boteco elaborou a “Linguiça à 7 chaves difamada na cachaça”, descrita como linguiça de carne de sol suína, bolinho de mandioca recheado e costelinha. O primeiro item se trata de uma linguiça do tipo aperitivo, na qual não consegui identificar o prometido sabor da carne de sol. O bolinho de mandioca apresenta um sabor interessante, e a ele faltou apenas uma fritura melhor executada. E as costelinhas, por fim, já compõem o cardápio regular do bar, em porção própria. Regadas em molho de mostarda e mel, entendo que seja o melhor item do prato, que ainda recebe o acompanhamento de outros dois molhos, um de gorgonzola e outro de alho.
 
 
 
Falando dos aspectos restantes, foram eles os que mais se destacaram nesta visita. Logo de cara, uma fila de espera bem organizada, com venda de cerveja long neck a quem se interessar. O atendimento é prestativo, e o dono percorre as mesas com frequência. Os banheiros são simpáticos, e muito bem limpos. Fechando com chave de ouro, a cerveja é estupidamente gelada, e assim reafirmo que o Seu Romão foi uma das melhores “aquisições” do ano.
 
Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bar da Lora

O evento
 
O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog voltou a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.
 
O prato
 
O Bar da Lora é o representante único do concurso no Mercado Central, que é um dos principais pontos turísticos de BH. Participando do festival desde 2009, o boteco chegou a faturar o primeiríssimo lugar em 2010, e ao longo das quatro participações, esteve sempre bem colocado.
 
Para 2013 ingressou no evento com o “Versões da Lora”, composto de molho, mandioca, linguiça, angú, carne de panela e conserva de jiló (R$ 22,90). O molho é um agridoce à base de linguiça moída, e casou bem com a linguiça na chapa, que é de boa qualidade. Já com o angu essa harmonização não ficou tão interessante, pois este recebe bastante cheiro verde em seu preparo. A mandioca é razoável, e as conservas de jiló e de rabanete agregam mais na textura do que no sabor. A carne de panela, por fim, é um saboroso músculo cozido.
 
 
Falando dos demais quesitos, há que se destacar antes de tudo o seu típico ambiente de bar de Mercado, onde cada metro quadrado abriga até quatro pessoas, todas de pé e dividindo as mesinhas altas com os demais clientes. A cerveja era razoável na temperatura, e estupidamente barata no preço, que é de R$ 5,00 (Brahma). O banheiro do Mercado, pelo qual se paga R$ 0,50 em cada acesso, fica um pouco distante do bar, o que me faz recomendar que cada visita seja programada. O atendimento, por fim, costuma ser amigável, e nem por isso se cobra da freguesia os 10% do garçom.
 
Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Comida di Buteco 2013 - Köbes

O evento
 
O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog voltou a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.
 
O prato
 
O Köbes é um boteco de personalidade, e não foram uma ou duas vezes que a sua cozinha nos surpreendeu nas criações para o evento. Para a edição de 2013 não fugiu da característica que lhe fez a fama, e voltou a inovar com o Frente e Verso (queijocas cervejeiros, rolinhos de linguiça artesanal com queijo e molho da Wowa). As queijocas, mesmo não sendo o melhor dos acompanhamentos àquela cerveja gelada, nos remetem aos biscoitos fritos de polvilho, conhecidos também por biscoito de goma em algumas regiões do estado. Porém são mais do que isso, dado que o recheio de malte lhe confere uma originalidade ímpar, além de contribuir no sabor e na textura. Os rolinhos de linguiça, preparados à base da já conhecida linguiça produzida na própria casa, são uma verdadeira perdição. Tanto que poderiam existir em maior quantidade no prato, que privilegia o primeiro item.
 
 
Para acompanhar, a casa oferece a linha premium da AMBEV (Original a R$ 6,80) ante os rótulos clássicos, mas aqui ressalvo que essa opção não foi motivada pelo concurso, dado que habitualmente já privilegiam rótulos artesanais e importados. Quanto ao atendimento, este não desapontou, da mesma forma que a temperatura dos cascos, geladinhos em cada uma das oportunidades que visitei o bar. A excelente carta de cachaças, bem como as aulas do pesquisador de sabores Afonso, são outros aspectos que merecem o nosso destaque.
 
Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Comida di Buteco 2013 - Bartiquim

O evento
 
O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog voltou a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.
 
O prato
 
O Bartiquim chega, em 2013, à sua 10ª participação consecutiva. Ao longo de uma década, foram raras as vezes em que fugiu do seu conhecido estilo de petisco, qual seja a tradicional comida mineira submersa em encorpado caldo, e servida em panela de pedra. Apenas o “pãozinho pra moiá”, que costuma ser obrigatório a quem gosta desse tipo de petisco, não foi incorporado ao prato “Alegria das Muié” (lagartinho de panela com mandioca cozida). Simples e remetendo aos primeiros anos do evento, quando se primava mais por sabor ante a criatividade ou a apresentação, trata-se de combinação infalível ao gosto do butequeiro. Como é avaliado por consumidores e jurados cada dia mais rigorosos nos detalhes, considero que dificilmente chegará ao pódio.
 
 
Quanto aos outros aspectos, destaco a geladíssima Brahma (R$ 5,90), que ao lado da Skol, era a opção aos rótulos “premium”, que infelizmente vêm sendo impostos à clientela pela maioria dos bares. O atendimento também não desapontou, inclusive ao pedirmos que caprichassem no caldo na nossa porção. A higiene e o ambiente, por fim, estavam ótimos como de praxe.
 
Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Comida di Buteco 2013 - Temático

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog voltou a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.

O prato

 
O Temático é o atual 5º colocado do Comida di Buteco, tendo subido ao pódio pela primeira vez em 2012, depois de oito participações. Para concorrer na edição deste ano, o bar não fugiu das suas raízes mineiro-nordestinas, e elaborou o Desarrumadinho (Linguiça, macaxeira rosa, farofa de feijão de corda). Bem executado e muito apetitoso, pecou apenas no desequilíbrio entre a linguiça e os “carboidratos” que escoltam, estes muito mais presentes do que aquele. Outro ponto é que talvez nenhum dos itens tenha sido criado exclusivamente para o festival, mas o sabor compensa essa pouca originalidade.



Servida no formato “desconstruído”, a especiaria principal é de ótima qualidade. A macaxeira cozida acompanhada de manteiga de garrafa já é tradicional no bar, e dificilmente se mostra mau preparada. A farofa de feijão de corda também não é novidade, e apresenta consistência e tempero impares. Apesar de não constar na descrição, o prato leva ainda o bom vinagrete da casa, cuja substituição do pimentão verde pelo vermelho faz toda a diferença.

Falando dos demais itens, o atendimento estava ligeiramente distraído no dia da visita, e a cerveja poderia ter sido um pouquinho mais gelada. Apesar disso, vale destacar a presença dos rótulos clássicos, ao preço de R$ 5,90 cada, enquanto a Original sai a R$ 6,70. O banheiro, por fim, continua limpo, cheiroso e refrescante.

Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.


quinta-feira, 9 de maio de 2013

Comida di Buteco 2013 - Café Bahia

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog volta a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.

O prato

O Café Bahia é um tradicional boteco de BH, mas apenas em 2012 estreou no evento. Também conhecido por Passarinho, em razão do seu folclórico garçom, em 2013 o bar atacou de “Combinado não sai caro” (linguiça de pernil com provolone flambada, torresmo de barriga, medalhão de quiabo e mandioca foguinho, acompanhado de molho de mostarda da casa). Na linguiça, que é do tipo aperitivo, não se notou nenhum provolone. O torresmo de barriga também não encantou, principalmente por estar sobremaneira gorduroso. O medalhão de quiabo, ao contrário, foi o destaque do prato, tanto que pedimos outra porção só com o criativo item. A mandioca foguinho, por fim, se mostrou no máximo razoável, e da mesma forma molho de mostarda da casa.


 O atendimento das mesas externas, comandado pelo Passarinho, se manteve dentro do esperado, e o pequeno banheiro, no melhor estilo cubículo, estava limpo. O ponto negativo, dentre os aspectos secundários, foi a restrição das cervejas aos rótulos premium. Pior ainda foi quando a Original gelada acabou, e tivemos de consumir Bohemia, que no Café Bahia custa R$ 5,90 cada garrafa.

Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.