Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

sexta-feira, 7 de março de 2014

Bar da Cida - 23/02/2014

Belo Horizonte, em sua considerável extensão territorial, apresenta características peculiares em cada uma das suas Regionais, o que é observado também nos bares. Nas Zonas Leste e Oeste, é mais fácil encontrar uma agulha no palheiro do que um boteco aberto em um domingo à noite. O mesmo não acontece na Zona Norte e na Pampulha, onde os frequentadores, que não dão a mínima para o Fantástico, ocupam os botecos até mais tarde, forçando os comerciantes a transferirem o dia de descanso para as segundas-feiras.
 


Legítimo representante do segundo grupo, e apresentando filas em pleno domingo, o Bar da Cida é um boteco em sua essência, e hoje se encontra dentre os melhores da cidade. Tendo recebido algumas reformas ao longo de sua existência, que lhe permitiram ter dois ambientes internos além do disputado passeio, oferece à clientela banheiros mais amplos que no passado, estes sempre limpos e bem cuidados.
 


O atendimento é outro destaque da casa, muito mais pela simpatia e despojamento das garçonetes do que pelo formalismo que eventualmente exigimos. No Bar da Cida não há funcionários homens, e as suas meninas conseguem fazer a clientela se sentir à vontade, como deve ser em todo boteco de verdade.
 
Geladíssima, a cerveja é vendida a preços honestos, com as garrafas de 600 ml custando entre R$ 5,70 (Brahma) e R$ 6,50 (Serramalte). Há também meia dúzia de rótulos de cachaça, a exemplo da Boazinha (R$ 4,50), de Salinas, e drinks como caipirinha (R$ 6,50) e caipiríssima (R$ 7,00).
 
Não fugindo das demais características da casa, a cozinha também é clássica de boteco, tendo fisgado a clientela primeiramente pelo caldo, há mais de 20 anos atrás. Atualmente, tem feito muito sucesso a porção de tilápia a dorê acompanhada de molho tártaro (R$ 27,00). Optamos, porém, por meia-porção de rabada com batatas (R$ 19,00), que é servida com um pãozinho de sal.
 

Em quantidade que atende duas pessoas, a rabada é bem temperada e bem cozida, desmanchando-se na boca. Coberto por cebola fatiada e cebolinha picada, é um dos petiscos que tem a cara do bar.
 


Não poderíamos deixar o famoso botequim, campeão do Comida di Buteco em 2008, sem degustar novamente o seu ótimo caldo. Custando R$ 6,00 cada um, pode ser de mandioca, de feijão ou misto, que foi a nossa escolha.
 


Espesso e saboroso, é coberto por torresmos e cebolinha picada, e fecha bem qualquer butecada.
 
 
Notas:
 
Ambiente: 3
Atendimento: 4
Bebida: 3
Comida (peso 2): 4
Custo-benefício: 5
 
Média final: 4 estrelas
 
 
Bar da Cida
Rua Numa Nogueira, 287 – Floramar - Belo Horizonte - MG
Tel: (31) 3434-8715
Pagamento: aceita cartão de crédito e débito
Preço médio por pessoa: R$ 35,00*
 
*Consumo individual, em rateio ou não, de uma porção para dois, ou duas porções para um, de preço médio, acrescida(s) de duas bebidas e, quando houver, serviço e couvert/entrada. As bebidas podem ser duas cervejas de 600 ml, quatro cervejas de 350 ml, dois drinks, ou duas doses de cachaça, dependendo da especialidade do bar.